A Tecnologia da Informação trabalhando de forma positiva para melhorar os serviços públicos

O desenvolvimento de uma nação está diretamente ligado ao poder de melhoria de vários setores dentro da sociedade que, sendo um resultado positivo, pode-se dizer que determinado país está desenvolvido ou em desenvolvimento. Para isso, é necessário mensurar como um todo, as áreas que são responsáveis pelo índice de crescimento e qualidade de vida, como as áreas da saúde, educação e em nosso caso, o desenvolvimento da informação.

 

É notório que com o passar dos anos, percebemos diversos avanços na tecnologia que impactaram em nosso cotidiano, ocasionando em benefícios práticos para toda a população e para as empresas, seja ele econômico ou operacional.

 

Quando isso acontece, de forma positiva, podemos destacar que a tecnologia da informação teve um papel fundamental no desenvolvimento da sociedade, principalmente quando tratamos de serviços públicos que abrangem uma parcela considerável da população.

São vários os exemplos que poderemos citar ao longo do texto em que a tecnologia nos beneficiou de forma direta ou indireta. Em alguns situações, a nova geração (conhecida como “geração y”) nem teve a oportunidade de utilizar determinados serviços públicos na forma do seu funcionamento de antigamente, como enviar cartas pelos Correios.

Hoje, essa geração que já nasce com o contato com a internet, nem sabe como postar uma carta nos correios. Eles aprenderam que a forma de se comunicar com os outros é através de e-mail, torpedos, mensagens instantâneas e redes sociais. Mas o desenvolvimento da tecnologia permite você hoje rastrear encomendas postadas nos correios pelo próprio site dos Correios ou em “app” (aplicativos para smartphones). Antigamente, era quase que diário a “viagem” até uma agência postal para saber se chegou alguma encomenda para o destinatário.

Outro exemplo que demonstra como o desenvolvimento da tecnologia melhorou nossos cotidiano é a declaração de imposto de renda que temos que fazer anualmente. Antigamente, tínhamos que preencher um formulário no papel, torcer para não errar nenhum campo pois rasuras inviabilizavam o envio do formulário e para aqueles que tinham muitos bens, eram páginas e mais páginas de formulário para declarar o tão sofrido formulário. Os contadores na época sofriam.

Atualmente, utilizando o programa específico para declarar o IRPF, tudo ficou mais fácil. A possibilidade de se importar os dados da declaração do ano anterior, a simulação dos tipos de declaração e a crítica que o próprio programa faz, diminuiu em muito as dores de cabeça aos contribuintes que passaram a correr menos risco de cair na “malha fina” do Fisco.

O IPVA e Licenciamento (para quem possui algum tipo de automóvel) também teve o seu benefício com a tecnologia da informação. Entrando no site do Detran de sua região, você pode consultar como anda a situação de seu carro pesquisando pela placa do veículo e o número do RENAVAM. Com a tecnologia, você imprime o DUA (Documento Único de Arrecadação) na hora que for pagar, principalmente após o vencimento, o site já calcula o juros e multa, emitindo o boleto no valor correspondente atualizado para que seja pago na rede bancária. Não há mais a necessidade de se deslocar até uma Ciretran ou Detran para requisitar novo boleto com valores atualizados.

E por último, a mais recente mudança que estamos observando nas últimas eleições é a utilização de urnas eletrônicas. Fico aqui imaginado a nova geração de não ter tido contato na forma de se votar utilizando as cédulas de votação (isso mesmo, papel!). O grande benefício dessa tecnologia é a agilidade no resultado da eleição que pode levar apenas algumas horas para saber que é o novo eleito. Na forma tradicional, o resultado podia levar dias.

Enfim, estamos em um caminhar natural da humanidade: o desenvolvimento. Pode ser que esse tipo de desenvolvimento não agrade a todos mas temos que ter a consciência que para sermos melhores, temos que evoluir. Essa teoria eu levo para dentro das empresas também. Se você não evoluir algo dentro da empresa ou no seu trabalho, ficará continuando a fazer a mesma coisa, e pior, pode ser que não saia da era do papel!

Até a próxima!

Eu sei quem é você e o que faz: a Internet que me contou!

O uso cada vez mais de sistemas informatizados nos mostra o quanto mudamos os nossos hábitos e costumes na convivência dentro da sociedade. A moda do uso das redes sociais trouxe pontos positivos mas também elencou alguns pontos negativos, resultado normal para toda nova tecnologia que entra em nosso cotidiano.

Estamos vivendo no mundo da informação, época das novidades tecnológicas e o conforto que a internet nos proporciona de conhecer lugares sem precisar sair de casa. Quem nunca sonhou em conhecer a Disney ou viajar à Europa só para conhecer e ver como é a Torre Eiffel?!

Com o surgimento do Google (para alguns é o “Santo Google”) tudo ficou mais “perto” e mais fácil o acesso à informação. Museus, obras de arte, trabalhos acadêmicos: tudo isso com um simples toque no teclado, você dá a volta ao mundo em questões de minutos. É uma diversão interessante mas ao mesmo tempo preocupante.

Tratando de redes sociais, que é a febre do momento, percebemos milhares de usuários conectados e felizes por reencontrar velhos amigos, criando assim, o seu círculo de amizades no mundo virtual através da permissão de adicionar o perfil do amigo em sua rede social. Dessa forma, temos um ponto positivo do uso da rede social que é aproximar as pessoas que estão distantes.

O perfil de usuário, nada mais é do que um tipo de cadastro de informações do usuário virtual que traz uma série de informações vinculadas ao dono do perfil. Por exemplo, se eu quiser entrar em uma rede social, tenho que me cadastrar na rede e assim, criar um perfil para que as outras pessoas possam me reconhecer e a partir desse momento, requisitar uma permissão para que eu possa fazer parte da rede social dela.

Nesse momento, dependendo da pessoa que está criando o perfil social, os problemas podem começar a aparecer. Tem gente que gosta de divulgar o maior número possível de informações pessoais e postar na internet, acreditando que assim, vários amigos possam o encontrar com mais facilidade. Outros, são exibidos mesmo, além de contar onde moram, o que fazem, onde trabalham, quantas meninas já pegou, posta a foto pessoal e algumas fotos da casa de praia, do carrão do ano, da lancha, etc.

Essas pessoas não possuem a noção que a vida delas está virando um livro de páginas abertas. Uma simples pesquisa na internet e pronto, todas as informações necessárias que um criminoso precisa para praticar algum crime, já fica por satisfeito para cometer as suas intenções com o resultado obtido.

É muito fácil checar se realmente isso faz sentido do que tratamos até aqui. Entre no site do Google (www.google.com.br) e pesquise o seu nome. De preferência, coloque o nome e sobrenome entre aspas, tipo: “Fulano de tal” e veja o resultado. Muitos links de resultado? Passou dos 1.000 sites na resposta da pesquisa? Está na hora de verificar o que você anda postando na internet. Pesquise também na área de imagens do Google, você irá se surpreender.

Entretanto, tem pessoas que usam a internet para realizar o seu marketing digital. Sem problemas, o que precisa se levar em conta é o montante que as nossas informações confidencias estão disponíveis na internet sem o nosso consentimento. Basta uma informação confidencial ser descoberta na internet para que você tenha uma baita dor de cabeça para o resto de sua vida.

Em momento oportuno, tratarei de um artigo específico sobre a influência da tecnologia na vida profissional e social de cada pessoa. É um assunto, que ao meu ver, merece uma atenção muito especial principalmente com as nossas crianças de hoje, que buscam fazer sucesso na internet postando vídeos engraçados (e muita das vezes, degradantes) sem pensar que isso vai refletir em sua vida profissional.

E você, o que será que o Google diz sobre você?

Até a próxima!

Questões de TI: Você está preparado para ter um aumento de salário?

O setor de tecnologia da informação emprega milhares de profissionais que estão diariamente em contato com as mais diversas informações e tecnologia existente no mundo. A internet possibilitou encurtar a distância entre as empresas e os criadores de ideias tecnológicas com o consumidor final: o usuário de tecnologia.

A cada novo produto lançado no mercado, existe um batalhão de profissionais de marketing, vendas, suporte, desenvolvedores, enfim, um verdadeiro arsenal de profissionais capacitados para manter o negócio de uma empresa e levar um determinado produto/marca ao sucesso.

Esse reconhecimento do mercado para o sucesso de algo, tem muito a ver com a qualidade que foi concebido um serviço/produto. A dedicação das pessoas para concretizar a ideia primitiva no tempo de projeto, a perseverança em caminhar para o sucesso do produto ou serviço e não deixando que os obstáculos normais de linha de planejamento/produção possam abalar a credibilidade do resultado final.

O mercado de Tecnologia da Informação é uma área voraz, que a cada dia novas vagas vão surgindo na proporção que outros profissionais vão deixando as empresas. É uma ordem natural do mercado. O profissional de TI que “veste” a camisa da empresa, possui melhores condições de realizar o seu sucesso profissional na carreira, basta ser empenhado, procurar sair da sua linha de conforto e está aberto a novos desafios.

Em um mundo globalizado, é primordial ao profissional de TI ter conhecimento de outras línguas (pelo menos nível avançado), exceção de cargo de gerência e em empresas multinacionais, cujo o inglês fluente é quase que uma obrigação para ocupar a vaga.

Contudo, o profissional de TI que já possui alguns anos labutando na área de tecnologia, é normal pensar que em determinado momento precisa ter um aumento de salário. Não é justo ficar trabalhando na mesma empresa durante anos com o mesmo salário (não estamos considerando os aumentos referente ao dissídio coletivo anual) e não ser valorizado monetariamente.

Nesse caso, é preciso fazer algumas considerações para evitar que o funcionário fique desiludido com o mercado ou achar que a empresa o está menosprezando, o que na verdade, pode ser culpa exclusivamente dele mesmo. Afinal, quem não gostaria de trabalhar na mesma função, com as mesmas responsabilidades e ganhando um salário maior?

Um ponto crucial antes de ir bater na porta da sala do chefe e pedir aumento de salário, é preciso se perguntar: “O que estou trazendo de benefício para a empresa nesse momento? Estou realizando meramente a minha obrigação do dia a dia ou eu estou inovando nas atividades laborais que ultrapassam a minha obrigação profissional?”

Tem gente que acha que fazer as atividades previamente acordadas no contrato de trabalho desde a sua entrada na empresa até os dias atuais, já o qualifica para um aumento de salário pelo fato “tempo” de casa. Grande engano, as empresas se esforçam para reter os bons profissionais que possuem anos de trabalho na corporação, desde que sejam produtivos ainda.

Os bons profissionais, com visão privilegiada para o mercado de trabalho, vão se sobressair na equipe de profissionais de TI toda vez que der um retorno financeiro direto ou indireto para a empresa. Por exemplo, o funcionário que otimizou o código fonte do sistema ou do site que conseguir reduzir pela metade o tempo da operação de uma determinada rotina na empresa, gerando uma economia do custo para o cliente da empresa ou para a própria companhia.

Aqueles que são proativos e buscam novas formas de trabalho ou formas de rotinas otimizadas, serão os primeiros a receberem uma proposta de aumento de salário. Esses profissionais, quando realizam tarefas primordiais para a saúde econômica das empresas, podem bater na porta do chefe e dizer: “Estou preparado para novas responsabilidades e consequentemente, receber pelos novos desafios”.

Uma dica importante: saia de sua zona de conforto. Não espere o seu salário no final do mês achando que trabalhou o necessário e que deve receber pelo trabalho realizado conforme o combinado de suas tarefas. Seja audacioso, criativo, busque novos desafios…

O melhor profissional é aquele que promete resolver um desafio na empresa sem ao menor ter a ideia de como começar. O administrador da empresa quer é isso, pessoas com garra que só o compromisso de tentar, já lhe garante uma oportunidade de aumento de salário no futuro, principalmente se conseguir realizar o desafio.

Agora, se após tudo isso e bater na porta do chefe e não conseguir o tal aumento, você então tem um problema. Volte para o mercado de trabalho em busca de empresas que valorizam os proativos ou monte a sua própria empresa.

E você, está preparado para um aumento de salário?

Até a próxima!

Consequência da vida moderna: tudo é culpa do TI

Computador de última geração, notebook, smartphone, tablet... equipamentos modernos que atraem a sensação de prazer nas pessoas mais consumistas, quando falamos de novidades tecnológicas. Quem nunca teve um desejo de ter um equipamento moderno desde a data de seu lançamento no mercado?

Desse modo, percebemos a evolução de vários dispositivos eletrônicos que acabaram virando sucata em um curto espaço de tempo devido a novos lançamentos de produtos mais avançados e atraentes. Isso aconteceu com as extintas fitas K-7, VHS e outras mídias que não são mais utilizadas devido ao grande momento que estamos passando sobre tecnologia.

Hoje, você compra um equipamento que em pouco tempo já não é mais novidade e pior, a qualidade em torno de sua durabilidade está ficando a desejar. Antigamente, os fabricantes se preocupavam com a durabilidade dos produtos tecnológicos pois era importante no mercado uma certa qualidade do produto. Não que hoje os produtos não possuem qualidade mas a durabilidade dos equipamentos de hoje não são equivalentes aos fabricados no passado.

Não é a toa que as televisões de nossos avós, que foram fabricados no século passado, funcionam até os dias atuais. Quando compramos a nossa de LCD, Plasma ou LED, percebemos que dificilmente a televisão passará dos 5 anos de vida. Tudo culpa da tecnologia.

Mas o que isso tem a ver com a TI? Simples, quem já não recebeu uma reclamação no Setor de TI quando a energia na empresa simplesmente acaba? O primeiro setor que é acionado pela diretoria é o Setor de TI com a mesma pergunta de sempre: “o que aconteceu? Qual a previsão de retorno?”. Eu não entendo essa relação de energia com o TI (logicamente naquelas empresas que não tem um setor de elétrica, por exemplo, como um funcionário eletricista).

Ainda fosse só a energia, até que dava para levar mas com a evolução dos equipamentos eletrônicos temos até vinculação do funcionamento das televisões de Led na empresa com o Setor de TI. Se a televisão parar de funcionar, é aberto um chamado reclamando do funcionamento para o TI?! Eu fico pasmo com essa relação que tudo é problema do TI.

Nesses vários anos de mercado de TI, tive chamados abertos para resolver problemas em aparelho de telefone fixo, conserto de luz de emergência, tomadas de energia, rádio de comunicação, aparelho de celular, enfim, equipamentos longe de ser de competência tecnológica do profissional de TI. No máximo, um certo apoio para indicar quem ou para onde deve ser redirecionado esse atendimento que não é atividade fim do responsável por Tecnologia da Informação.

Entretanto, vejo esse pensamento de dependência do profissionais de TI em tudo que se relaciona tecnologia pois querendo ou não, os equipamentos modernos possuem tecnologia e com isso, o usuário (incluindo o chefe) vislumbra Tecnologia = Setor de TI, simples assim. É como se o TI fosse responsável por tudo na empresa.

O pior disso tudo é que o profissional de TI sofre duas vezes com essa teoria que tudo é culpa do TI. Se você termina o expediente de trabalho e quando chegar em casa o controle remoto do portão eletrônico, o ferro de passar, o chuveiro elétrico, a televisão ou se a máquina de lavar roupa não funcionar, adivinha a quem será atribuído a culpa? Ou pelo menos será a primeira pessoa a tentar consertar porque a(o) companheira(o) vai logo dizendo: oras, você não é de TI, então conserta?!!!

Até a próxima!

Como a Esteganografia pode ajudar a evitar a ação do Anonymous em divulgar informações confidenciais

A idade pré-histórica, onde remetemos a figura do “homem das cavernas”, foi um momento crucial e importante que reflete nos dias de hoje. As “invenções” criadas naquela época, utilizando ferramentas rudimentares para a caça e a pesca, nos permitiu avançar e poder hoje, fazendo um paralelo rudimentar das ideias, ter acesso a tecnologia que inventou o celular, aviões e a internet.

Desde esse tempo histórico, já sabemos que os nossos antepassados faziam desenhos nas cavernas para gravar os momentos daquela época, usando os pigmentos rudes disponíveis no meio ambiente que permitiam gravar figuras de mamutes, renas e outros animais existentes e que eram vistos diariamente.

Essas figuras, em uma primeira análise, representam meramente as figuras de animais que eram encontrados no meio ambiente. Mas pode haver um outro significado ou alguma intenção na “mensagem” (figura) não entendível que o “homem das cavernas” gostaria de transmitir a humanidade futura através das figuras.

Nos dias atuais, existem algumas técnicas forense para que um indivíduo possa transmitir diversos documentos digitais importantes usando arquivos de áudio, figuras e outros formatos para “mascarar” a aparência do documento, o qual chamamos de Esteganografia.

A Esteganografia é uma técnica que permite ocultar um texto ou documento sigiloso dentro de outro arquivo, que pode ser uma imagem, música, vídeo ou mesmo em outros textos. O seu objetivo é garantir que a mensagem oculta inserida em outro arquivo digital, consiga chegar ao seu destino sem que ninguém perceba que existe arquivo inserido em uma foto, por exemplo.

Seu computador irá abrir a imagem utilizada no processo e o usuário vai enxergar somente uma foto, nada mais do que isso. Mas na verdade, com a esteganografia, o destinatário vai realizar o processo inverso feito na origem do envio da imagem e assim, subtrair os documentos que estão interligados na imagem, concretizando a ocultação e a transmissão de informação sigilosa de forma tranquila e sem levantar suspeitas.

Desse modo, eu fico analisando qual o motivo que os órgãos públicos não adotam essa medida para transitar na internet, mensagens confidenciais e sigilosas, garantindo que em nenhum servidor no meio da transmissão, vá copiar os dados confidenciais e compartilhar com o grupo Anonymous.

Seria uma forma interessante de manter armazenado no computador das autoridades públicas, somente arquivos de imagens (bandeira do Brasil, do Estado, do Município, da bandeira do Partido Político, enfim… somente figuras) e dentro de cada figura constarão os dados sigilosos, protegidos com senha, obviamente, que só permita desfazer a esteganografia mediante o uso de uma senha.

Assim, mesmo que o computador seja “invadido” por hacker, aqueles que não tiverem conhecimento da técnica de esteganografia, não vão desconfiar das imagens estenografadas, que na verdade, são documentos importantes. Vale ressaltar que isso é uma ideia pois a dificuldade de se colocar em prática é quando ocorrer a necessidade de se pesquisar um determinado documento que se encontra armazenado no computador da autoridade pública. Pesquisar que imagem?

E você, já usou a técnica de esteganografia em algum momento?

Até a próxima!

Como um administrador de redes pode monitorar o tráfego dentro de um switch gerenciável?

A informação é uma matéria-prima lapidada que se bem empregada, pode gerar um determinado conhecimento. O conhecimento gera uma perspectiva positiva ou negativa, dependendo de quem a possua. É como a eletricidade, ela pode servir para o bem ou para o mal. Ela pode dar a luz ou também pode matar, vai depender de como será utilizada. Se para o bem, servirá para iluminar os locais escuros. Para o mal, será utilizada para eletrocutar e matar alguém com choques intermináveis, como se fosse uma sessão de tortura de guerra.

Dentro de uma ambiente corporativo, existem diversos assuntos que são tratados utilizando a rede de computadores para que as informações sejam enviadas e recebidas pelas pessoas, transformando em conhecimento. Geralmente, a maior parte do conhecimento produzido em um ambiente de trabalho, tem como o objetivo as tarefas inerentes a cada função dentro da corporação, sejam elas meramente operacionais ou de cunho gerencial.

Entretanto, não é de se surpreender que determinadas informações acabam sendo trocadas entre funcionários ou pessoas desconhecidas fora do ambiente da empresa e que não deveriam ser divulgadas por se tratarem de informações sigilosas. É muito importante para as empresas terem um certo controle nas informações geradas fruto do trabalho de seus funcionários principalmente quando se trata de negócios novos ou produtos em lançamento. Basta um descuido e o protótipo é enviado ao concorrente por alguns milhares de dólares e pronto, o estrago está feito.

Quando se desconfia de algum funcionário ou determinado setor, a empresa possuindo dentro de suas políticas de segurança, com o devido conhecimento do funcionário quando ele entra para o cargo concorrido, que os computadores e e-mail podem ser monitorados, é ora do empresário agir e contar com o conhecimento técnico de seu responsável de TI para evitar prejuízos maiores a companhia. Resumindo: monitoramento.

O switch possui um papel fundamental dentro de uma rede de computadores e melhor ainda se ele for do tipo gerenciável. Esse recurso possibilita ao administrador da rede realizar um monitoramento do tráfego gerado em determinadas portas e verificar o que se passa dentro da infraestrutura de dados, que passa dentro do switch.

Com o devido acesso dentro do switch, basta ir nas configurações de porta onde tem a opção de criar “mirror”. Essa opção, você irá “copiar” o tráfego de uma determinada porta que será o alvo de monitoramento e fazer um espelho, que é o mirror, para a porta onde o seu notebook ou computador desktop está conectado no switch. Após criar o mirror, execute em sua máquina um programa de monitoramento de rede (como o wireshark, por exemplo) e capture os pacotes de dados por um determinado tempo, a fim de verificar posteriormente os dados que foram trafegados na porta alvo ou verifique em tempo real, adicionando determinados filtros no programa de monitoramento para saber se as suas suspeitas vão se concretizar.

É importante observar que nada adianta capturar os pacotes de dados se o profissional de TI não sabe analisar os dados capturados. É como procurar uma coisa que não sabe o que é. Nessa hora, é importante o conhecimento técnico e dedicado, que um pacote de dados mal analisado pode fazer toda a diferença no resultado.

Desse modo, não coloque meramente no seu currículo que você tem experiência em roteamento, firewall e segurança da informação, quando na verdade, você nem sabe qual a diferença entre pacotes TCP e UDP.

Até a próxima!

A tecnologia como uma aliada nas manifestações pelas cidades do Brasil

O Brasil, há 20 anos atrás, perdia o seu primeiro presidente do Brasil após o regime militar, pelo processo de impeachment de Fernando Collor. Era uma época em que o povo também se manifestava com a insatisfação do caminho político que o nosso país estava indo. Essa força humana, que se tornou unânime em todo o Brasil, teve o seu desfecho: a queda do presidente.

A diferença da manifestação do povo daquela época para os dias atuais que estamos vivendo é que antes, nascia os chamados “cara-pintada”, grupo de estudantes e jovens que foram na rua após um pedido do então presidente da república, Fernando Collor, que solicitou que todos fossem para rua com um lenço branco para mostrar lealdade ao presidente da nação brasileira.

O que vimos foi uma verdadeira ação contrária, o povo lutando contra a roubalheira, a corrupção e bastou um chamado na televisão para que os brasileiros se manifestassem contra o gestor nacional de nosso país.

Atualmente, as manifestações contam com vários aliados tecnológicos e que permitem uma melhor organização nos protestos e assim, gerar uma comoção nacional de amplitude até então ignorada pelos políticos. Temos as redes sociais, os torpedos de celulares, GPS e outros recursos tecnológicos que proporcionam uma verdadeira manifestação em potencial, articulando grupos de manifestantes e projetando a forma de como tudo vai acontecer nas ruas pelas cidades brasileiras.

Os políticos estão percebendo que o povo não está mais aguentando a forma como o nosso país está resolvendo as pendências sociais. A tecnologia existe e é utilizada para aumentar o efetivo de insatisfeitos que demonstram a sua raiva e insatisfação com os políticos e conseguem se organizar no mundo virtual para ter consequência no mundo real.

Essa é a nossa realidade, dessa geração que nasceu com a internet no berço. A expressão bem conhecida pela população faz jus ao seu sentido: “O povo unido, jamais será vencido!”. Com a tecnologia, essa consequência ultrapassa barreiras e chega ao noticiário dos países desenvolvidos. Estamos estampados nas capas dos principais jornais do mundo. A tecnologia nos ajuda a demonstrar que estamos insatisfeitos com a política brasileira.

A internet é uma grande aliada nesse processo democrático pois viabiliza a nossa manifestação em tempo real para todo o mundo. E já estamos colhendo os frutos dessa organização do povo. As consequências são inevitáveis. O preço das passagens de ônibus voltaram a patamares menores e outras medidas ainda virão a acontecer. Pois essa demonstração de manifestação é mais que o preço da passagem que teve um aumento no seu preço mas a qualidade do serviço prestado continua ruim. Não há uma coerência entre o que se paga e o que se tem de contraparte.

O que se via até então, era pessoas insatisfeitas que se expressavam em pequenos grupos nas redes sociais contra a política brasileira. Mas hoje, a população “acordou” e utilizou a mesma rede social que usavam para reclamar e planejaram algo novo, um protesto nacional com força e vigor.

Contudo, espero que a partir de agora, os políticos percebam a máxima da lei da física que não mente: “Toda ação gera uma reação”. Tem que ser com muita cautela qualquer tipo de ação realizado pelo poder público pois agora, sem medo de errar, basta uma ação errada do governo para o povo voltar as ruas e protestar novamente.

Para frente Brasil!

Até a próxima!

Confirmando a leitura de um e-mail com a ajuda de um “porco”

No mundo todo, milhares de e-mails são enviados pelos diversos servidores de e-mail existentes na internet, com o objetivo de levar a informação desejada do remetente ao destinatário. Infelizmente, muitos desses e-mails são os temíveis SPAM: mensagens indesejadas e que na sua grande maioria possui conteúdo publicitário.

Nem vou falar a quantidade de e-mail fake (falso) que é enviado aos coitados dos destinatários desavisados que acabam caindo em determinados golpes virtuais por falta de informação e atenção.

Em vários softwares de e-mail (os programas clientes) que os usuários utilizam para ler e enviar e-mails tais como o Outllook, Thunderbird, Lotus, etc, existem opções configuráveis para que seja possível o remetente receber uma confirmação de entrega e leitura por parte do programa de e-mail do destinatário.

Cada programa de e-mail cliente tem o seu local de configuração específico para essa finalidade, que no geral, atende a demanda dos usuários. Entretanto, tenho percebido que determinados administradores de servidores nas empresas, estão desabilitando a opção no servidor de e-mail corporativo para que não seja possível enviar um retorno ao remetente sobre a entrega ou leitura do e-mail por parte do destinatário.

Alguns argumentos são levantados por esses profissionais de TI como: evitar a ação dos spammers que enviam um e-mail para um endereço eletrônico na esperança de receber a confirmação de entrega e assim, validar aquele e-mail na maillist de spam. Outro argumento é sobre a privacidade do destinatário que não quer informar ao remetente qual o momento que foi realizado a leitura do e-mail enviado, ficando o remetente na eterna dúvida sobre a entrega e a leitura do e-mail enviado.

Entretanto, argumentos a parte, podemos resolver essa questão com uma método que é muito usado durante o processo de investigação pericial em crimes eletrônicos com o objetivo de saber se determinado e-mail utilizado para enviar material pornográfico ou com conteúdo ofensivo contra o destinatário ainda está em funcionamento. Usando um “porco”.

Isso mesmo, a técnica utilizada é inserir no corpo do e-mail, uma figura de um porco disponibilizada no site www.spypig.com que ele executará o script no momento que o destinatário abrir o e-mail. É muito simples de usar e garante bons resultados ao remetente que receberá uma confirmação de leitura com informações úteis como versão do browser do destinatário, sistema operacional e outras informações relevantes.

O SpyPig é um site que disponibiliza ao remetente a facilidade de ter uma confirmação de leitura do e-mail enviado independente da vontade do destinatário, querendo ou não, até porque nenhuma mensagem é exibida a ele para permitir ou não esse envio. Tudo é executado via scrpit que tem a sua ação iniciada na mera abertura do e-mail.

Utilize esse recurso e perceba a infinidade de benefícios que esse método de confirmação pode lhe proporcionar.

Até a próxima!

De quem é a culpa da lentidão do ERP: da equipe de infra ou sistema?

O uso de um sistema informatizado dentro de uma empresa traz enormes benefícios tanto para o empresário, que tem o seu controle financeiro e administrativo de forma organizada e otimizada, quanto o governo, que acompanha o movimento contábil e fiscal das empresas através da escrituração digital.

Esse processo é resultado da evolução da tecnologia combinado com a necessidade de se ter um maior controle das informações que são repassadas aos órgãos públicos e assim, facilitar a análise desses dados pelo governo.

Antigamente, o uso dos antigos livros caixas (nem sei se ainda tem empresa que usa essa modalidade – exceto as microempresas e as quitandas), aqueles livros que continham todo o histórico de entrada e saída da empresa, era obrigatório e necessário para uma eventual fiscalização por parte do agente público.

Entretanto, era muito moroso a fiscalização e existia uma enorme dificuldade em guardar esse livros em locais seguros e longe de traças e outros tipos de “bichos”. Hoje, com o uso de software que gerenciam as informações da empresa, os conhecidos ERP, fazem todo o trabalho fiscal e contábil, até mesmo na geração de notas fiscais eletrônicas.

Tudo fica registrado eletronicamente e através do ERP, qualquer tipo de consulta o relatório é gerado em poucos minutos e até em segundos, dependendo do volume e da complexidade da informações a serem pesquisadas.

Ocasionalmente, em determinados momentos, essa pesquisa no sistema de informática da empresa ou geração de um arquivo para ser enviado ao órgão público, pode ocasionar um certo atraso devido a uma lentidão no processamento das informações, levando ao usuário do ERP a registrar um atendimento no suporte da empresa para resolver esse atraso.

Inicia-se nesse momento uma discussão entre a equipe de infraestrutura e a equipe de sistemas em que cada um joga a culpa ao outro, sobre a culpa da lentidão no processamento das informações pesquisadas por parte do usuário da empresa. O pessoal de infra acusa que o ERP está lento devido o tamanho do banco de dados, tabelas não indexadas, falta de uma manutenção preventiva e outros motivos plausíveis.

Do outro lado, o pessoal de sistema se defende colocando a culpa na infraestrutura que está deficiente como o processamento do servidor não aguenta mais as necessidades do ERP, falta memória RAM, CPU ultrapassada, cabeamento de rede inadequado e outras desculpas que merecem atenção no caso concreto.

Contudo, o que precisa ser analisado é que tanto a equipe de sistemas como a de infra precisam arranjar uma solução pois o sistema ERP não roda sem a infra e não adianta ter a infra sem o sistema funcionando. Encontrar a solução em conjunto, nesse caso, ganha os profissionais de TI (pela proatividade em resolver) e ganha a empresa (que sabe que possui bons profissionais que resolvem os seus problemas de tecnologia).

Até a próxima!

O Profissional de TI precisa aprender a dizer “não”

O conhecimento é fundamental para realizar o progresso natural dentro de uma carreira construída com muito esforço, dedicação e empenho. E essa progressão na vida profissional, precisa ser bem planejada para evitar a frustração na carreira e evitar o que tem acontecido com frequência: a troca de área de atuação.

A questão é que bons profissionais estão mudando cada vez mais de área por falta de incentivos nas empresas onde trabalham, trocam constantemente os horários que deveriam ser de lazer por horas de trabalhos em troca de um minguado extra no final do mês ou até quem diga uma certa “compensação” nos locais de trabalho que utilizam o sistema de banco de horas. Nesse caso, o funcionário faz as “horas extras” e o funcionário ao invés de receber em valores o trabalho executado fora do expediente normal de trabalho, ele tira um dia ou algumas horas de folga para compensar esse trabalho extra.

O problema é que esse tipo de modalidade realmente não compensa para a maioria dos trabalhadores de TI pois quem trabalhou após o expediente, quer na verdade um reconhecimento por parte da empresa pelo seu esforço dedicado à companhia e que no futuro próximo, seja merecedor de um aumento de salário com base em suas tarefas em horário extra ou uma promoção de cargo.

Alguns profissionais de TI até gostam de trabalhar após o expediente pois preferem folgar em um determinado dia na semana. Cada um tem o seu pensamento mas já parou para refletir que o dia de folga não se aproveita do mesmo jeito que seria um dia de final de semana com a família?

Se folgar em dia da semana provavelmente seu companheiro ou companheira vai está trabalhando. Seus amigos vão está trabalhando. Como aproveitar o seu dia de folga na mesma intensidade se fosse um domingo, por exemplo?

O que na verdade vai acontecer é você achar que está “abafando” ficando na praia pegando aquele sol em plena manhã enquanto todo mundo está trabalhando. Sim, mas não esqueça que você está sozinho na praia. No fundo, você fica com um sentimento que deveria está trabalhando. Pior ainda para aqueles profissionais que dão aula a noite ou tem outro compromisso profissional em outro trabalho. A folga não vale de nada.

Portanto, é importante saber dizer não em determinados momentos para evitar esse tipo de situação. Lógico que muitos devem está pensando: “se eu disser um ‘não’, serei despedido, tenho que trabalhar até mais tarde fora do expediente”. Perceba que o “não” realmente não pode ser utilizado para qualquer momento mas tem coisas que a negativa tem que ser imposta, para evitar o stress desnecessário tanto para o profissional de TI como para o administrador de empresas.

Um exemplo esclarecedor que pode ser contornado pelo responsável dos sistemas de informática na empresa é quando em uma sexta-feira, faltando 1 hora para acabar o expediente, o seu chefe é comunicado pela empresa responsável pelo programa ERP que existe uma nova atualização no módulo de contabilidade e assim, ele quer que você faça a atualização no servidor para que todas os computadores estejam atualizados.

Nessa hora, é necessário cautela e coragem. Primeiro, essa atualização vai gerar produção ao setor beneficiado pela atualização após o expediente? Ou o seu chefe quer meramente que se atualize os sistemas para amanhecer na segunda-feira com o sistema atualizado? Ora de dizer “não” para o seu chefe propondo uma solução (alternativa). Informe os riscos de se atualizar um sistema no servidor no início de um fim de semana, se algum funcionário precisar trabalhar no sábado e o sistema acusar algum erro de funcionamento motivado pela atualização, é provável que você seja encontrado para trabalhar no fim de semana.

Solução plausível: atualize (quando possível) somente no computador do setor beneficiado pela atualização e deixe para atualizar no servidor no início da semana que vem. Se essa solução não for agradável, informe ao seu chefe os riscos de se atualizar e que a empresa pode não conseguir falar com você no fim de semana se houver necessidade. Fala que você está planejando um passeio com a família no final de semana para uma sítio que lá não pega sinal de celular.

Ele refletirá os riscos e com certeza, aceitará os seus argumentos e preferirá alterar o sistema quando você estiver por perto. Dessa forma, ele acabou aceitando o seu “não”, mesmo que indiretamente.

Até a próxima!