Confirmando a leitura de um e-mail com a ajuda de um “porco”

No mundo todo, milhares de e-mails são enviados pelos diversos servidores de e-mail existentes na internet, com o objetivo de levar a informação desejada do remetente ao destinatário. Infelizmente, muitos desses e-mails são os temíveis SPAM: mensagens indesejadas e que na sua grande maioria possui conteúdo publicitário.

Nem vou falar a quantidade de e-mail fake (falso) que é enviado aos coitados dos destinatários desavisados que acabam caindo em determinados golpes virtuais por falta de informação e atenção.

Em vários softwares de e-mail (os programas clientes) que os usuários utilizam para ler e enviar e-mails tais como o Outllook, Thunderbird, Lotus, etc, existem opções configuráveis para que seja possível o remetente receber uma confirmação de entrega e leitura por parte do programa de e-mail do destinatário.

Cada programa de e-mail cliente tem o seu local de configuração específico para essa finalidade, que no geral, atende a demanda dos usuários. Entretanto, tenho percebido que determinados administradores de servidores nas empresas, estão desabilitando a opção no servidor de e-mail corporativo para que não seja possível enviar um retorno ao remetente sobre a entrega ou leitura do e-mail por parte do destinatário.

Alguns argumentos são levantados por esses profissionais de TI como: evitar a ação dos spammers que enviam um e-mail para um endereço eletrônico na esperança de receber a confirmação de entrega e assim, validar aquele e-mail na maillist de spam. Outro argumento é sobre a privacidade do destinatário que não quer informar ao remetente qual o momento que foi realizado a leitura do e-mail enviado, ficando o remetente na eterna dúvida sobre a entrega e a leitura do e-mail enviado.

Entretanto, argumentos a parte, podemos resolver essa questão com uma método que é muito usado durante o processo de investigação pericial em crimes eletrônicos com o objetivo de saber se determinado e-mail utilizado para enviar material pornográfico ou com conteúdo ofensivo contra o destinatário ainda está em funcionamento. Usando um “porco”.

Isso mesmo, a técnica utilizada é inserir no corpo do e-mail, uma figura de um porco disponibilizada no site www.spypig.com que ele executará o script no momento que o destinatário abrir o e-mail. É muito simples de usar e garante bons resultados ao remetente que receberá uma confirmação de leitura com informações úteis como versão do browser do destinatário, sistema operacional e outras informações relevantes.

O SpyPig é um site que disponibiliza ao remetente a facilidade de ter uma confirmação de leitura do e-mail enviado independente da vontade do destinatário, querendo ou não, até porque nenhuma mensagem é exibida a ele para permitir ou não esse envio. Tudo é executado via scrpit que tem a sua ação iniciada na mera abertura do e-mail.

Utilize esse recurso e perceba a infinidade de benefícios que esse método de confirmação pode lhe proporcionar.

Até a próxima!

Anúncios

Por quê o BYOD assusta muito gestor de TI nas empresas?

Cada vez mais as pessoas utilizam a tecnologia para auxiliar em suas tarefas diárias, desde o simples ato de acordar com o alarme de um celular que muita das vezes é utilizado como despertador até responder os e-mails corporativos dentro do ônibus ou aeroporto, através do tablet ou smartphone.

A facilidade com que a tecnologia proporciona nos dias de hoje traz uma série de benefícios para os usuários e frequentadores assíduos desses equipamentos eletrônicos que para muita gente é difícil viver sem eles. Logicamente, tem o próprio mercado que “dita” o que devemos usar e nos ilude com situações que nos força a acreditar que precisamos adquirir determinados equipamentos para resolver problemas mais facilmente ou problemas que ainda nem temos mas que poderemos ter.

As empresas estão observando nos seus funcionários a utilização de várias tecnologias como o Windows, Linux, Mac no ambiente corporativo e em algumas delas, os empregados já fazem o uso de dispositivos móveis para trabalhar no horário do expediente, dentro da corporação e fora dela.

Esse comportamento é caracterizado pelo BYOD (Bring Your Own Device) que traz a concepção do funcionário levar o seu dispositivo eletrônico pessoal para dentro do ambiente de trabalho sem que haja a necessidade da empresa adquirir o equipamento eletrônico. Nessa situação, a permissão da companhia em deixar o empregado usar o próprio dispositivo reflete na redução de custos operacionais para comprar o equipamento e permitir ao funcionário para que ele continue a trabalhar fora da empresa.

Entretanto, um dos fatores que assusta muito gestor de TI nas empresas com a prática do BYOD é a segurança da informação. Para o empresário, é muito cômodo permitir que o funcionário dele leve para o trabalho o tablet pessoal para utilizar no ambiente corporativo como uma ferramenta de trabalho, onde os e-mails de reuniões e de clientes serão respondidos no próprio equipamento eletrônico. Afinal, qual empresa que não gostaria que o seu parque tecnológico fosse todo dos próprios funcionários? Assim, não teria o custo de aquisição de computadores e afins.

Todavia, o bom gestor de TI que tem a visão da segurança da informação vai indagar algumas variáveis com a chefia para mediar essa prática do BYOD dentro da companhia. Quando o funcionário leva de casa o smartphone para o trabalho, por exemplo, ele está usando o celular dentro da empresa para realizar algumas tarefas corporativas e ao mesmo tempo, esse equipamento possui informações pessoais do colaborador como fotos de eventos, e-mails particulares e todas as contas das redes sociais cadastradas no aparelho.

O contrário também é verdadeiro. Ao deixar a empresa após o término da jornada de trabalho, a conta do e-mail corporativo assim como todos os e-mails vão junto com o funcionário para a casa. Desse modo, caso o funcionário perca esse celular ou seja assaltado, vai existir um grande problema para a empresa pois existem dados confidenciais dentro do aparelho que nas mãos erradas, podem falir uma empresa.

Existem milhares de funcionários que não criam nem ao menos uma senha de bloqueio de tela do celular. Imagine esse equipamento nas mãos erradas? É uma mina de ouro de informações confidenciais corporativas que só existem ali devido a prática do BYOD. Não sou contra o uso, até porque eu mesmo faço parte das pessoas que permito o BYOD, desde que com as devidas orientações aos funcionários e algumas medidas simples para preservar as informações contidas nos equipamentos móveis.

O gestor de TI é na verdade um gestor da informação. Ele sabe onde estão as informações, para onde vão e como encontrar. E na perda delas, qual atitude a ser tomada para minimizar o impacto e as consequências para a empresa. Não se pode engessar uma empresa por conta do tradicionalismo ou por não acreditar na mobilidade. Já faz parte do nosso cotidiano e o nosso papel é fazer acontecer em nossas empresas de uma forma organizada e segura.

Da próxima vez que o seu chefe sugerir a utilização do BYOD na empresa, não seja contrário de imediato. Até porque, as vezes, o gestor de TI nega o uso por simplesmente desconhecer o que é BYOD!

Até a próxima!

Home Office: Qual o maior beneficiário, o Patrão ou o Funcionário?

Desde os primórdios da humanidade, o homem sempre teve que batalhar para conseguir manter o seu sustento. Na idade da pedra, caçava animais, bebia a água dos rios, construía abrigos nas cavernas mas sempre era necessário uma atividade para manter as tarefas cotidianas e poder se alimentar.

Não é mistério que até os dias de hoje continuamos a exercer essa atividade de trabalho, necessidade pelo alimento, o cuidado pelo bem da família e, diferente de nossos antepassados, permitir alguns luxos que a modernidade nos proporciona como carros mais confortáveis, roupas de marca, comidas sofisticadas, enfim, fazer o que bem entender com o dinheiro ganho no fim do mês resultado de muito trabalho.

Logicamente que não podemos garantir todos esses benefícios para aqueles que estão desempregados mas com certeza o objetivo dessas pessoas é trabalhar, seja de carteira assinada ou na informalidade, cada um com seus lado positivo e negativo.

Todavia, hoje vamos analisar uma situação que é fruto de uma consequência do desenvolvimento tecnológico que estamos vivendo: a mobilidade. Muitas pessoas nesse momento estão trabalhando dentro de uma sala com ar condicionado na empresa, atendendo a ligações, conversando com funcionários, com o público em geral, realizando as suas tarefas diárias e objetivando alcançar algumas metas estabelecidas para o dia.

Entretanto, olhando no prisma de trabalho na empresa, temos que considerar para o funcionário uma necessidade de deslocamento da casa ao trabalho, que pode ser na condução da própria empresa, no carro do funcionário, pegando um táxi, etc. Ou seja, nessa situação teremos um custo associado aos trabalhadores que precisam ir para a empresa e assim, desenvolver a sua atividade laboral.

Estamos falando de gastos financeiros e de saúde. Financeiro pois tem o custo pela empresa da condução dos funcionários ou pelo funcionário com o combustível de seu carro, o manutenção do veículo, eventuais despesas de furo de pneu, alguns arranhões em pequenas batidas, pagar aquele café da manhã na padaria da esquina por ter acordado atrasado e teve que sair de casa correndo para não levar uma bronca do chefe e por aí vai.

Gasto em saúde quando se trata do stress do trânsito, seja na impaciência no centro urbano de guiar o carro em uma via que ninguém sai do lugar, levando horas para chegar ao trabalho, a paciência que tem que ter dentro do ônibus (transporte público) lotado nas primeiras horas do dia, quando consegue pegar a condução e fora nos casos que na condução coletiva você nem sempre consegue ir sentado, resultando em cansaço físico antes mesmo de iniciar a jornada de trabalho.

No mundo moderno, algumas empresas inovaram e permitem ao funcionário realizar as tarefas da empresa em sua própria casa, ficando conhecido com Home Office. Alguns patrões liberam seus funcionários para trabalhar em determinados dias na semana em casa, outros liberam todos os dias, depende da atividade e do resultado alcançado de cada um. Logicamente que não são todos os beneficiados, muita das vezes esse benefício é concedido aos funcionários com mais tempo de casa.

A questão é o benefício que isso trás para ambos os lados. Com o funcionário trabalhando em casa, não tem como negar que a qualidade de vida será bem melhor. Entretanto, será necessário uma disciplina rigorosa para não confundir as tarefas de casa com o do trabalho e vice-versa.

Trabalhar em casa é mais prazeroso, está perto da família, não tendo o stress do trânsito, as fofocas do trabalho e tudo aquilo que a gente não gosta de ter contato no ambiente de trabalho. Contudo, temos que lembrar que quando o patrão desloca o funcionário para trabalhar em casa, alguns gastos terão que ser assumidos pelo funcionário: o almoço será em casa, aquele telefonema para o chefe será realizado de casa, o fax necessário com a pauta da reunião da empresa, a internet para realizar as tarefas do trabalho será usado o da família, enfim, nem sempre são flores o trabalho em casa.

Algumas empresas estão abolindo o trabalho em casa devido ao baixo rendimento de seus funcionários que não conseguem comprovar a eficiência do Home Office em detrimento ao trabalho “in loco”, dentro da empresa. Assim, por mais custoso que seja para o patrão, é melhor manter por perto o funcionário em que se pode vigiar as suas ações e controlar a meta a ser alcançada.

E você, já foi solicitar ao seu patrão para trabalhar de Home Office?

Até a próxima!

Sincronizando N95 com o Google Calendar (Google Sync)

Segue abaixo, um tutorial para sincronizar a agenda do Nokia N95 com o Google Calendar:

1- primeiro voce deve baixar o “Mail for Exchange”, um software da nokia (http://www.businesssoftware.nokia.com/mail_for_exchange_downloads.php)
2- preencha uma ficha basica para baixar o aplicativo (free, gratis)
3- passe para o seu celular e instale o aplicativo.
4- durante a instalacao sera solicitado para criar uma conta (profile):
5- siga os passos:

  • Endereco de email: digite seu email completo por ex: seuemail@gmail.com
  • Dominio: digite “none”
  • Nome de usuario: digite seu email completo ex: seuemail@gmail.com
  • Senha: digite sua senha ex:********
  • ponto de acesso: selecione sua internet
  • salve as configuracoes;

6- agora entrou numa parte que mostra no passo a passo do google, aqui, mas vou passar aqui em portugues.
7- conexao:

  • Servidor exchange: m.google.com
  • Conexao segura: sim
  • Ponto de acesso: selecione sua internet
  • Sincron. durante roam: nao
  • Usar porta padrao: sim

8- Credenciais:

  • Nome de usuario: seu email completo
  • senha: sua senha
  • dominio: none

9- Agenda de sinc.:

  • Agenda sinc. no pico: Manual
  • Agenda sinc. fora pico: Manual
  • Em caso de conflito: Selecione a opcao que melhor lhe aplica

10- Calendar.:

  • Sincronizar calendario: sim
  • sincr. calend. data ant.: Selecione a opcao que melhor lhe aplica
  • Sincronizacao inicial: Selecione a opcao que melhor lhe aplica

11- Tarefas:

  • Sincronizar tarefas: nao, pois o google sync ainda nao esta funcional nessa parte

12- Contatos:

  • Sincronizar contatos: Selecione a opcao que melhor lhe aplica

13- Email:

  • Sincronizar emails: nao, pois o google sync ainda nao esta funcional nessa parte.

14- pronto, agora salve. isto vai fazer ir para o menu principal do aplicativo.
15- vai em Opções e selecione sincronizar. isto fara o aplicativo se conectar a internet e sincronizar a agenda do celular com a agenda do google.

Fonte: http://weloven95.blogspot.com/2009/05/sincronizando-n95-com-o-google-calendar.html

Projeto de lei pode tornar e-mail documento

Felipe Zmoginski, de INFO Online Quinta-feira, 14 de maio de 2009 – 18h57

SÃO PAULO – Um projeto de lei em discussão no Congresso pode dar aos e-mails status de documento com valor legal.

O texto está sob análise da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que avalia se a medida é constitucional ou não. Se obter parecer positivo, o projeto pode seguir para votação em plenário.

A ideia é dar valor legal a e-mails trocados com certificação digital. Assim, ao invés do usuário precisar assinar um documento, reconhecer a assinatura em cartório e enviar o papel por correio ou entregá-lo pessoalmente, pode validar uma decisão apenas enviando um e-mail.

A Comissão quer certificar-se de que esse processo é seguro e que permitirá desburocratizar transações comerciais sem aumentar o risco

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/ti/projeto-de-lei-pode-tornar-e-mail-documento-14052009-46.shl

Roney Médice

Analista de Sistemas e bacharel em Direito

Reparando arquivo de e-mails particulares (.pst) com scanpst.exe

Passei por uma situação que acredito que muitos já passaram ao tentar abrir um arquivo de e-mails do outlook, com extensão .pst, em que estão armazenados os e-mails antigos, e aparece uma mensagem em que o arquivo apresenta problemas de leitura. Eu crio esses arquivos com frequência, utilizando as vezes a opção de arquivo morto ou simplesmente a opção de exportação de e-mail.

Para reparar o arquivo, utilize a ferramenta de reparo de caixa de entrada de e-mail chamada scanpst.exe, ela é instalada junto com o pacote office e o seu executável está localizado em c:\arquivo de programas\microsoft office\office12. Procure pelo arquivo scanpst.exe e clique duas vezes em cima dele.

Na caixa Digite o nome do arquivo a ser verificado, digite o nome do arquivo .pst ou .ost que você deseja verificar ou clique em Procurar para pesquisar o arquivo. Clique em Iniciar. Se forem encontrados erros depois que a verificação for concluída, será solicitado que você inicie o processo de reparo para corrigir os erros.

O arquivo de backup será criado durante o processo de reparo. Para alterar o nome ou local padrão deste arquivo de backup, na caixa Digite o nome do arquivo de backup, digite um novo nome ou clique em Procurar para localizar o arquivo que você deseja usar. Clique em Reparar.

Ao final da recuperação, você receberá uma mensagem informando que o arquivo foi reparado. Agora, é só abrir o outlook e acessar sua pasta particular de e-mail reparada.

Roney Médice

Analista de Sistemas e Bacharel em Direito


Como exportar os contatos armazenados no Outlook Express para o Outlook

A semelhança entre o Outlook e o Outlook Express, para a frustração dos usuários, não vai além do nome e da capacidade de gerenciar o correio eletrônico. Os dois programas da Microsoft são bem diferentes, principalmente na forma de armazenar endereços. O leve Outlook Express, companheiro inseparável do Internet Explorer, guarda os contatos no Catálogo de Endereços do Windows, enquanto o Outlook, componente do Office, cria um banco de dados com formato próprio. Não há como sincronizar os dois, mas é possível transferir os dados do Express para o Outlook sem dramas na conversão de formatos.
A maneira mais simples de fazer a transferência só é possível quando o Outlook ainda não está instalado na máquina. Isso porque, logo após a instalação, quando é iniciado pela primeira vez, o programa oferece a opção de importar mensagens de e-mail, catálogos de endereço e configurações. O próprio Outlook identifica o software de correio e pergunta se o usuário quer fazer a atualização, convertendo para o formato de Contato os dados do Catálogo de Endereços do Windows, que são arquivos WAB (Windows Address Book). Se o usuário concordar, a conversão é automática.
Quem já tem os dois programas instalados pode utilizar o assistente de importação e de exportação de dados do Outlook para buscar os endereços. O passo-a-passo a seguir foi feito no Windows XP com o Outlook do Office XP.
1. Inicie o Outlook, clique no menu Arquivo e escolha Importar e Exportar. Na caixa de diálogo do assistente de importação e exportação, selecione o item Importar Internet Mail e Endereços e clique em Avançar. Na tela da Ferramenta de Importação, selecione Outlook Express 4.x e 5 na lista, mesmo que o seu seja de uma versão mais recente. Note, na lista, que é possível importar endereços também do Eudora, do Netscape Mail, do Microsoft Internet Mail e do Netscape Messenger. Logo abaixo, aparecem as opções para importar e-mail, catálogo e regras — marque os itens que deseja trazer para o Outlook e clique em Avançar.
2. Selecione, na tela Importar Endereços, o destino dos contatos, marcando a Pasta de Contatos do Outlook. Logo abaixo, no quadro Opções, há três a considerar: substituir, permitir e não importar itens duplicados. Se você não tiver muitos contatos repetidos nos dois programas, marque Permitir a Criação de Duplicatas, uma vez que é melhor apagar um endereço do que perder uma atualização importante. Clique em Concluir. O Outlook vai levar um tempinho para fazer a conversão e avisará quando terminar. Clique OK e pronto.
3. Caso você queira continuar utilizando o Outlook Express depois da migração dos endereços, poderá fazer atualizações pontuais dos contatos no Outlook, arrastando para ele, individualmente ou em grupo, os endereços do Catálogo de Endereços do Windows. No menu Iniciar, clique em Pesquisar e escolha Todos os Arquivos e Pastas. No campo da pesquisa do nome do arquivo, digite *.wab, escolha o disco e clique em Pesquisar. Dê um clique duplo no arquivo WAB encontrado, abra o Outlook e deixe as duas telas lado a lado. Selecione a entrada do WAB que deseja transferir e arraste-a para a pasta Contatos do Outlook. Um novo formulário de Contato será criado imediatamente. Clique em Salvar e Fechar. Para selecionar um grupo de endereços espalhados, pressione Ctrl, clique em cada um deles e arraste para Contatos.
4. Algumas vezes o arquivo WAB se esconde numa pasta oculta e o mecanismo de busca do sistema não consegue encontrá-lo. Para achá-lo, vá ao menu Iniciar, aponte para Todos os Programas, escolha Acessórios e clique em Catálogo de Endereços. Os endereços deverão estar na pasta Contatos da Identidade Principal. Abra-a e arraste o que quiser.
5. Endereços do Outlook podem ser exportados como arquivo para outros tipos de programa, como planilhas. Para isso, vá ao menu Ferramentas e clique em Catálogo de Endereços. No menu Arquivo, clique em Importar e Exportar. Agora, na caixa de diálogo do assistente, selecione Exportar para um Arquivo e clique em Avançar. Escolha o tipo de arquivo (DOS, Windows, Access, Excel etc.) e pressione o botão Avançar. O Outlook pode pedir o CD do Office para instalar os conversores necessários, mas não demora nessa operação. Concluída a conversão, salve o arquivo.

Fonte: Info Online

Roney Médice

Analista de Sistemas e Bacharel em Direito