Senha Segura

Há muito tempo, desde que começamos a ter contato com os eletrônicos, já era possível imaginar a dificuldade das pessoas em conseguir lidar com o novo, com a evolução das coisas que, no primeiro momento, tende a ser complexo o entendimento sobre algo que não dominamos.

Dessa forma, dando tempo ao tempo, é normal que as coisas se alinhem e o entendimento do que antes era novidade, passa a ser do cotidiano, excluindo todo aquele “stress” de algo que não se dominava por uma situação mais fácil de se entender e interagir com a evolução da tecnologia.

Assim é o processo de criação de uma senha para ser utilizado em algum local, seja ele um site, um serviço, qualquer que seja o objetivo: as pessoas ainda “travam” durante o processo de criação de uma senha, quanto mais se for exigido uma “senha segura“. Volta novamente aquele ambiente da insegurança, do medo, da dificuldade de se criar uma senha segura que não vá ocasionar no esquecimento da própria senha.

Foto por hitesh choudhary em Pexels.com

Contudo, é preciso mudar esse paradigma que criar senha é um processo tortuante para o usuário. Deve ser encarado como mais uma tarefa normal que temos quando tratamos com a tecnologia. O que realmente falta no processo de criação de uma senha segura, às vezes, acredito que seja a falta de informação sobre o melhor caminho a ser trilhado para uma boa escolha de uma senha segura, que não trará problemas futuros.

Uma boa dica é seguir alguns passos para criar esse hábito de escolher uma senha segura que atenda tanto aos requisitos mínimos de segurança do serviço que solicita a senha, onde cada site ou serviço tem seus requisitos particulares (tamanho de senha, complexidade, histórico de senha, etc) quanto à facilidade do usuário lembrar da própria senha, evitando a todo momento, escolher a opção “recuperar a senha” e tornar ainda mais estressante a vida das pessoas com a tecnologia.

Por fim, escolha senhas seguras que não seja possível que terceiros consigam deduzir a sua senha com informações, que na maioria das vezes, já estão em domínio público como: CPF, RG, datas comemorativas, nome de animal de estimação, nome de parentes, etc. A melhor senha segura é aquela em que você combina letras (maísculas e minúsculas), número, caracter especial (!,@,#,$) e pelo menos o ç (cedilha).

Isso mesmo, ficou intrigado com a dica do uso de cedilha (ç) na senha? Explico: muitos “Hackers” utilizam dicionários de palavras para tentar descobrir a sua senha (ataque conhecido como Brute Force – Força Bruta) e as palavras, normalmente desses dicionários, não levam em consideração palavras com acento e o ç (cedilha), diminuindo consideravelmente que a sua senha segura seja descoberta pelo método de tentativa e erro.

Mas, nada adianta você ter lido isso tudo acima e no final, deixa colado a sua senha na tela do monitor para evitar que você esqueça a sua senha! Afinal, você tem Alzheimer?