Veja os 8 principais golpes virtuais de 2011

São Paulo – A empresa de segurança Norton, da Symantec, liberou uma lista com os principais golpes virtuais do ano, aqueles que mais se espalharam pela rede e causaram danos aos internautas. Cibercriminosos se aproveitam de acontecimentos globais que atraem o interesse do público para espalhar malware e aplicar golpes virtuais nos usuários. Os ataques podem afetar qualquer um que esteja conectado à rede e não tome precauções básicas.

Dentre as maneiras de se proteger, estão as clássicas não clicar em posts suspeitos, não confiar em mensagens enviadas por remetentes desconhecidos, não divulgar suas senhas nem deixá-las expostas e desconfiar de ofertas surreais. Outras características devem chamar atenção do usuário como, por exemplo, links que são repetidamente repassados entre seus contatos (especialmente se eles postarem sempre com as mesmas palavras e mensagens ou em línguas estrangeiras).

Confira a lista abaixo:

1. Março – Terremoto no Japão: ataques de spams e phishing solicitando doações ou tentando disseminar ameaças virtuais começaram a surgir poucas horas após a tragédia no Japão.

2. Abril – Casamento Real do Príncipe William e Kate Middleton: foram identificados mais de 500 sites maliciosos, que se aproveitavam da curiosidade das pessoas para redirecioná-las a páginas contendo janelas de antivírus falsos. O usuário receberia notificações de erros e ameaças que precisam ser eliminadas.

3. Maio – Morte de Osama bin Laden: páginas da web, muitas vezes prometendo conter imagens da morte do terrorista, eram envenenadas com o intuito de obter acesso aos computadores e infectá-los com malware.

4. Maio – Jogos Olímpicos de Londres: os ingressos para as Olimpíadas mal começaram a ser vendidos e os hackers já começaram uma série de ataques cibernéticos, incluindo resultados de busca contaminados e confirmações falsas por e-mail.

5. Julho – Morte de Amy Winehouse: mais uma vez os cibercriminosos se aproveitaram da curiosidade do público. Foram criados ataques de spam que traziam promessas de fotos do corpo da cantora e de supostas drogas encontradas no local de sua morte.

6. Setembro – Roubo do curtir no Facebook: esse ataque foi bem elaborado. O usuário era levado a clicar em um conteúdo qualquer na rede social, normalmente algum vídeo polêmico, e, automaticamente, seus amigos recebiam o aviso de que ele curtiu o conteúdo, sem que ele tenha de fato clicado no botão. O spam gerado propagava conteúdos dentro do Facebook e, com frequência, servia para roubar e revender dados financeiros e pessoais dos internautas.

7. Outubro – Morte de Steve Jobs: quando o co-fundador da Apple morreu, os criminosos virtuais se aproveitaram para disseminar mensagens com informações falsas, mas que atraíam a curiosidade das pessoas. Ao clicar nos links, o usuário tinha seu computador infectado.

8. Novembro: Filme Amanhecer (parte 1): poucos dias antes da estreia mundial do filme da saga Crepúsculo, os usuários foram enganados por supostas fotos e links com informações da produção, que teve trechos filmados no Rio de Janeiro. Ao clicar nas páginas contaminadas ou tentar fazer download das fotos, o computador do usuário era acessado.

Fonte: Exame Info

Anúncios

Serviço online promete facilitar abertura de empresa no Brasil

O processo de abertura, fechamento, alteração e legalização de empresas deverá ser totalmente integrado em um único ambiente virtual a partir de 2012, informou à Agência Brasil a Receita Federal.

Está prevista para o próximo ano a entrada em funcionamento da Rede Nacional para a Simplificação do Registro e da Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). Criada pela Lei nº 11.598, a Redesim é composta por órgãos federais, estaduais e municipais que estejam direta e indiretamente ligados aos registros de empresas.

“O empresário irá se comunicar com esse ambiente em que todos os órgãos estarão interligados: juntas comerciais, cartórios de registro de empresas, administração tributária federal, estadual, meio ambiente, órgão de regulação e controle, entre outros”, informa subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal, Carlos Roberto Occaso.

De acordo com Occaso, bastará o empresário fazer o cadastro na junta comercial, que seria uma das “portas de entrada” à rede, para passar a ter acesso a todos os serviços disponíveis em uma página na internet.

Embora a rede seja gerida pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a Receita Federal é parceira no projeto com todos os sistemas informatizados integrado ao ambiente do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), explica Occaso.

“Imagine que o empresário procure a junta comercial. Ele formaliza o contrato de constituição da empresa e depois tem acesso a todos os aplicativos para órgãos de meio ambiente, de postura, das administrações federal, estaduais, municipais etc”, detalha Occaso.

As informações serão distribuídas pelos sistemas integrados de forma a permitir que cada órgão receba os dados do interessado, além de formalizar a abertura, regularização, fechamento de uma empresa de forma direta e com a apenas uma comunicação do empresário com a administração pública.

“Será liberado tudo. Alvarás, agendamento das vistorias dos bombeiros. Tudo estará nesta estrutura. O [sistema] integrado nacional passará a ser gerido pela Receita, com mais 27 integradores estaduais que, por sua vez, terão integração com sistemas nos municípios”, explica o subsecretário.

Redução do custo Brasil

Occaso afirma que, além de ser um dos maiores problemas quando se trata de abertura ou fechamento de empresas no País, a burocracia é um dos fatores que elevam o chamado custo Brasil. Com as mudanças, a Receita Federal espera que o tempo de registro de uma empresa seja de cinco dias úteis.

Inicialmente prevista para março de 2012, a data para a Redesim ser liberada para pessoas jurídicas ainda não está, entretanto, prevista pela Receita.

Segundo Occaso, a Receita se empenhará para que a rede passe a funcionar no ano que vem. Ele assegura que muitos integradores estaduais estão prontos, com sistemas já desenvolvidos por empresas privadas de tecnologia da informação e só esperam um sinal verde do governo federal para participar da integração.

“Muitos estados já estão preparados e aguardam que Receita finalize o projeto do integrador nacional com os demais núcleos regionais de integração para ter todo o modelo integrado ao CNPJ”, concluiu. *Com informações da Agência Brasil

Fonte: ComputerWord

As 25 piores senhas de 2011

O site SplashData publicou recentemente a lista das 25 piores senhas utilizadas Internet afora e em smartphones. Se você usa alguma destas senhas, saiba que seus dados pessoais, fotografias, e muito mais, podem ser facilmente obtidos por malfeitores digitais.

Segue a lista:

  1. password
  2. 123456
  3. 12345678
  4. qwerty
  5. abc123
  6. monkey
  7. 1234567
  8. letmein
  9. trustno1
  10. dragon
  11. baseball
  12. 111111
  13. iloveyou
  14. master
  15. sunshine
  16. ashley
  17. bailey
  18. passw0rd
  19. shadow
  20. 123123
  21. 654321
  22. superman
  23. qazwsx
  24. michael
  25. football

As palavras usadas refletem os hábitos de usuários falantes de inglês, mas muitas destas senhas são utilizadas mundo afora, em diferentes países. Na posição número 1 temos a palavra “password”, ou “senha”. “qwerty” é uma sequencia do teclado, como muitas outras das senhas da lista acima.

Esta lista foi compilada a partir de arquivos contendo milhões de senhas roubadas e publicadas online pelos ladrões digitais.

Considerando-se que muitas pessoas armazenam em seus dispositivos portáteis uma quantidade inquietante de informações a seu respeito e a respeito de seus familiares, uma tragédia de proporções épicas pode acontecer em caso de perda ou roubo destes dispositivos. Se você usa alguma das senhas acima, não perca tempo, vá trocá-las.

Fonte: Dicas-L