Salários em TI: justiça divulga regras para reajuste dos profissionais de SP

Na última quarta-feira, 29/6, a decisão do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) sobre o dissídio coletivo dos profissionais de TI do estado de São Paulo foi divulgada no Diário Oficial da União. Com isso, as empresas ficam obrigadas a, imediatamente, cumprir as normas.

O documento prevê o aumento salarial de 7,5% para a categoria, retroativo a janeiro de 2011. Além disso, as empresas têm de oferecer um plano de PLR (Participação em Lucros e Resultados) para os profissionais de TI; vale refeição de, no mínimo, R$ 10 para jornadas de 8 horas – e de R$ 8 para quem trabalha 6 horas –; horas extras de acordo com novo cálculo; e benefício para trabalhadores com filhos excepcionais.

No caso específico das horas extras, passa a valer um adicional de 75% nos dias úteis, para os 120 minutos trabalhados após a jornada normal. Caso esse tempo seja ultrapassado, o adicional sobe para 100%. Esta última porcentagem é aplicada também para finais de semana ou feriado.

Ainda segundo a decisão divulgada no Diário Oficial, as companhias têm 60 dias para se adaptar às regras. Além disso, o TRT julgou que a greve da categoria – motivada pela falta de um acordo entre profissionais e empresas sobre o valor de reajuste anual em 2011 – não foi abusiva. Com isso, os trabalhadores terão direito a receber salário pelos dias parados e estabilidade de 90 dias, contados desde 25 de maio.

Por fim, em relação aos pisos salariais, houve um aumento de 9% para Digitador (R$ 894,00), 11% para Office Boy (R$ 600,00), 9% para Administrativo (R$ 709,00), 9% para Técnico em Informática e Help Desk (ambos com R$ 992,00).

Fonte: Olhar Digital

Anúncios

Será que estão acessando sua conta no Gmail?

Você foi ao cibercafé, acessou sua conta e se esqueceu de encerrar o webmail ou desconfia que alguém esteja usando sua conta de e-mail.

A dica é clicar em Detalhes na parte de baixo da página, logo depois do item Última Atividade da Conta e da informação correspondente. O Gmail lista em uma nova janela as últimas dez atividades na sua conta, indicando o país, o estado e o endereço IP, além da data e hora e o tipo de acesso (navegador, celular, POP3 etc).

No alto dessa página você encontrará também o número de sessões simultâneas e poderá efetuar o logoff em todas elas, clicando no botão Sair de Todas as Sessões. Mas se você salvou a senha no outro computador, não poderá evitar um novo acesso. Neste caso, é recomendável trocar a senha rapidinho.

Fonte: Info Online

Peritos da PF definem estratégia para investigar invasões de sites do governo

Peritos criminais da Polícia Federal estão reunidos no Instituto Nacional de Criminalística (INC) para definir a forma como será conduzida a investigação sobre os ataques de hackers a sites e instituições ligadas ao governo federal. A Polícia Federal foi acionada na última quarta-feira (22) para entrar no caso. A parte técnico-científica da investigação está a cargo do Serviço de Perícias de Informática (Sepinf) do INC.

“Ao longo da reunião devem ser definidos o quantitativo de peritos que se dedicarão ao caso, bem como a forma como o trabalho será conduzido”, disse hoje (27) o presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF), Hélio Buchmuller, à Agência Brasil. “Em um primeiro momento, os colegas do Sepinf fizeram um levantamento das informações obtidas. Em seguida, eles vão analisar os ambientes invadidos para ver o que havia nesses locais, e só então definir as medidas mais efetivas para o caso”, acrescentou o perito.

Além de buscar identificar a autoria dos ataques, a PF pretende apontar as falhas apresentadas nos sistemas invadidos. Essas conclusões serão encaminhadas à área de segurança de cada órgão.
“Na conversa que tive com os colegas da área, fui informado que ainda não dá para avaliar o grau de dificuldade dessa investigação. Isso só será possível na medida em que elementos mais concretos sejam obtidos, o que deve acontecer nos próximos dias”, adiantou o presidente da APCF.

Segundo ele, muitos dos dados supostamente confidenciais, cuja divulgação foi atribuída aos ataques recentes, não foram necessariamente obtidas em decorrência do ataque.

“Aparentemente, muitas das informações divulgadas pela mídia sequer são informações confidenciais e podem ser obtidas por outros caminhos ou outras fontes”, disse Buchmuller, referindo-se a alguns dos dados pessoais de políticos, divulgados após o ataque. “Dá para você obter essas informações em sites como o do Tribunal Superior Eleitoral”.
De acordo com o perito, o fato de o Brasil estar conquistando uma posição de destaque no cenário mundial ainda não alterou o perfil dos crimes cibernéticos investigados pela PF. “Até o momento, não temos nenhuma novidade prática sobre isso”, informou Buchmuller.

Fonte: Uol Notícias

 

Zappiens.br disponibiliza acervo multimídia da UNICAMP

Colaboração: Márcio Martins

Data de Publicação: 12 de junho de 2011

O Zappiens.br, serviço gratuito de distribuição de vídeos com conteúdo científico, educativo, artístico e cultural em língua portuguesa, passa a disponibilizar o material multimídia produzido pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas. Atualmente, são 1140 vídeos que abordam desde temas culturais, como um passeio pelo Teatro Nô, através de ilustrações, fotos e performances apresentadas pelo performer japonês Toshi Tanaka, até conteúdos didáticos do corpo docente da universidade.

O conteúdo do portal CameraWeb, da UNICAMP, vem enriquecer o acervo já disponível no Zappiens.br, composto originalmente por vídeos do Arquivo Nacional, da Universidade de São Paulo, de universidades atendidas pela RNP, do portal Zappiens.pt, da FCCN de Portugal, e do próprio NIC.br, ultrapassando a marca de 10.000 títulos.

Outras instituições que possuam acervos multimídia também podem integrá-los e compartilhá-los no Zappiens.br. aumentando sua visibilidade na rede; e aquelas que têm arquivos digitalizados (mas ainda não disponíveis na Web) podem utilizar o Portal como repositório, ao solicitar espaço para armazenamento ao CGI.br.

O Zappiens.br é uma iniciativa do CGI.br, executada pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologias de Redes e Operações do NIC.br (CEPTRO.br) em parceria com o Laboratório de Arquitetura e Redes de Computadores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (LARC/EPUSP), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) e a Fundação para a Computação Científica Nacional (FCCN), de Portugal.

Fonte: Dicas-L