Espanhol preso por revelar e-mail de colega


Recentemente, eu li em um artigo de um site especializado em assuntos corporativos que o espanhol Antonio R. C. pagará caro por revelar e-mails íntimos de um ex-colega de trabalho: 26 meses de prisão, multa de 3 240 euros e 4 mil euros de indenização. A Justiça de Barcelona considerou que, independentemente do conteúdo das mensagens eletrônicas, R.C. violou a intimidade do ex-gerente da empresa Claudi B., “no momento em que acessou o correio eletrônico do prejudicado”, conforme cita a imprensa espanhola.

R.C. imprimiu cópias de mensagens de Claudi e as entregou para a cunhada deste, alegando que queria mostrar “que tipo de pessoa ele era, e o que fazia o cunhado nas horas de trabalho”. R.C. ainda ligou para o irmão do ex-gerente, para saber se ele havia lido os papéis que entregou para a cunhada. Outros colegas de trabalho receberam de R.C. cópias desses e-mails. Os fatos aconteceram entre outubro e dezembro de 2006.

O tribunal não revelou nem o motivo, nem a forma como R.C. teria extraído os e-mails no computador de Claudi B. O ex-gerente deixou a empresa , que acreditava ter apagado as mensagens pessoais da máquina que usava. O juiz considerou que apenas 2% das mensagens em questão no processo tinham algum teor íntimo. R.C. ainda pode recorrer da sentença.

O que me chama a atenção nesse episódio é que tenho visto com frequência, funcionário disponibilizar login e senha de acesso a caixa postal eletrônica para que o colega de trabalho possa responder ou receber e-mails, pois o funcionário vai chegar tarde ao trabalho ou simplesmente não vai aparecer por outros motivos.

O poder que um login e senha na mão traz para alguém, é incomparável com as conquências trágicas que essa atitude pode acarretar não só para os envolvidos, mas para a ampresa detentora das ferramentas de trabalho que são disponibilizadas para seus colaboradores. É uma pena que muitas empresas não visualizam o valor que uma informação possui, dentro do mundo corporativo. O valor só é percebido quando essa informação ocasionar algum prejuízo futuro, seja de caráter econômico ou social.

Portanto, toda informação corporativa deve ser tratada com importância e sigilo, pois senão, em breve, teremos não mais nas ruas o crime de extorsão mediante violência à pessoas, e sim, extorsão mediante sequestro de informações com direito a pagamento de resgate para ter de volta informações confidenciais e valiosas da empresa. Então, daqui para frente, dê mais atenção ao seu notebook, celular, pen drive e outros equipamentos que contenham informações de sua empresa. Eles podem ser as próximas “vítimas” dos criminosos.

Roney Médice

Analisa de Sistema e Bacharel em Direito

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s